Foto – Brazil O Filme

 

O cardápio semanal do Petra Belas Artes À La Carte traz no lugar das cinco estreias semanais, seis novos filmes na próxima quinta-feira, 2 de setembro. Entre os destaques está a obra-prima de Terry Gilliam, integrante da trupe de humor inglês Monty Python e diretor de filmes como “Monty Python em Busca do Cálice Sagrado”,  “Os 12 Macacos”, “Medo e Delírio”: “Brazil – O Filme”. O longa de 1985, estrelado por Jonathan Pryce e Robert De Niro, retrata – em um mundo futurístico, caótico e perturbador – uma sociedade monitorada e presa em burocracias.

Outros destaques são os documentários “Poeta de sete faces” (2002), de Paulo Thiago (diretor celebrado pelo À La Carte com outros cinco filmes), que remonta a trajetória de Carlos Drummond de Andrade, dos primeiros anos de sua vida, sua mudança para o Rio de Janeiro até o auge de sua carreira; e “O que é Cinema?” (2013), obra de Chuck Workman que traz raras entrevistas de Robert Bresson, Alfred Hitchcock, Chantal Akerman, Akira Kurosawa e muitos outros cineastas consagrados.

E para fechar os cinéfilos podem escolher entre “O tempo é uma ilusão” (1944), filme da fase Hollywoodiana de René Clair; “Complicações do amor” (2014), de Charlie McDowell, longa estrelado por Elisabeth Moss, Mark Duplass e Ted Danson que estreou no Festival de Sundance; e “O congresso futurista” (2013),  de Ari Folman e estrelado por Robin Wright (da série House of Cards), um drama surreal e intrigante que mistura live-action e animação.

Confira abaixo as sinopses dos filmes:

Brazil: o filme (Brazil)

Reino Unido | EUA, 1985, Drama/Sci-fi, 132 min, 14 anos

Direção: Terry Gilliam

Elenco: Jonathan Pryce, Kim Greist, Robert De Niro

Sinopse: Sam Lowry vive num Estado totalitário, controlado pelos computadores e pela burocracia. Neste Estado futurista, todos são governados por fichas e cartões de crédito e ainda precisam pagar por tudo, até mesmo pela permanência na prisão. Em meio à opressão, Sam acaba se apaixonando por Jill Layton, uma terrorista.

Curiosidades: Indicado ao Oscar 1986 nas categorias de Melhor Roteiro e Melhor Direção de Arte. Robert De Niro queria fazer o papel de Jack Lint, mas o diretor Terry Gilliam já havia prometido o papel a Michael Palin, então De Niro, que ainda queria muito estar no filme, aceitou viver o personagem Harry Tuttle. Terry Gilliam admitiu que este filme foi inspirado no clássico literário “1984” de George Orwell, embora ele nunca tenha realmente lido o livro.

Poeta de sete faces

Brasil, 2002, Documentário, 94 min, Livre

Direção: Paulo Thiago

Elenco: Zezé Motta, Paulo Autran, Ferreira Gullar, Ana Beatriz Nogueira e Carlos Gregório.

Sinopse: O filme remonta a trajetória do escritor mineiro Carlos Drummond de Andrade, dos primeiros anos de sua vida, sua mudança para o Rio de Janeiro até o auge de sua carreira.

Curiosidades: Longa-metragem meio documentário, meio ficção, sobre Carlos Drummond de Andrade, com cenas nas quais o ator Carlos Gregório interpreta o poeta. O filme contém depoimentos de grandes nomes da literatura brasileira, entre eles Ferreira Gullar, Mario Chamie e Adélia Prado. Com narração de Antônio Grassi e Júlia Lemmertz, o longa conta ainda com bela leitura de poemas de Drummond por artistas como Zezé Motta, Othon Bastos, Paulo Ana Beatriz Nogueira e Antonio Calloni.

O que é Cinema? (What is cinema)

EUA, 2013, Documentário, 80 min, Livre

Direção: Chuck Workman

Elenco: David Lynch, James Franco, Chantal Akerman, Robert Altman, Abbas Kiarostami e Peter Bogdanovich.

Sinopse: Chuck Workman demonstra seu domínio da linguagem cinematográfica, criando um ensaio visual de clipes de filmes que extrapolaram os limites da forma de arte. Este documentário traz material de arquivo com raras entrevistas de Robert Bresson, Alfred Hitchcock, Chantal Akerman, Akira Kurosawa e muitos outros cineastas consagrados.

Curiosidades: O diretor Chuck Workman ganhou o Oscar de Melhor Curta-Metragem em live action pelo seu curta “Precious Images”. Entre as declarações mais curiosas dos entrevistados, o inglês Mike Leigh, indicado ao Oscar por “Segredos e Mentiras” (1996), destaca-se como um raro caso de diretor que admite gostar de assistir aos próprios filmes.

Complicações do amor (The one I Love)

EUA, 2014, Comédia, 91 min, 14 anos

Direção: Charlie McDowell

Elenco: Mark Duplass, Elisabeth Moss, Ted Danson

Sinopse: Ethan e Sophie estão juntos há muitos anos, mas o casamento passa por um momento de crise. Tentando recriar a intimidade e salvar o que ainda existe entre os dois, eles decidem fazer uma viagem de fim de semana. O problema é que, logo após chegarem ao destino, Ethan e Sophie se deparam com uma descoberta que os força a repensar quem eles são como pessoas, quais são os problemas da relação e o que eles esperam para o futuro.

Curiosidades: No lugar de um roteiro, o filme tinha apenas um documento de 50 páginas que trazia toda sua decupagem, exceto os diálogos, que teve a maior parte improvisada, com exceção de algumas cenas que exigiam efeitos e foram escritas na noite anterior, apenas para servirem de base. O filme teve como locações a casa dos atores Ted Danson e Mary Steenburgen, padrasto e mãe do diretor Charlie McDowell, enquanto a então namorada dele, a atriz Rooney Mara, era a figurinista, porém, ela usou nos créditos o pseudônimo “Bree Daniel”, pra não ser identificada. O diretor Charlie McDowell tem como pai o famoso ator inglês Malcolm McDowell, protagonista de “Laranja Mecânica”.

O tempo é uma ilusão (It happened tomorrow)

EUA, 1944, Comédia, 85 min, Livre

Direção: René Clair

Elenco: Dick Powell, Linda Darnell, Jack Oakie

Sinopse: Um jovem jornalista da virada do século descobre que pode conseguir o jornal do dia seguinte. Isso traz mais problemas do que fortuna, especialmente porque sua nova namorada é parte de um falso ato de clarividência.

Curiosidades: O diretor René Clair inicialmente queria Cary Grant para o papel principal neste filme. O diretor Frank Capra inicialmente comprou os direitos de adaptação da peça teatral para o filme, mas ao entrar no Exército dos EUA para a Segunda Guerra Mundial, ele vendeu os direitos para Arnold Pressburger, produtor do filme que acabou sendo dirigido pelo francês René Clair. O diretor René Clair é o mesmo dos clássicos “Sob os Tetos de Paris” (1930), “Casei-me com Uma Feiticeira” (1942) e “Por Ternura Também se Mata” (1957), disponíveis no À La Carte.

O congresso futurista (The congress)

Israel, 2013, Drama/Ficção científica, 122 min, 14 anos

Direção: Ari Folman

Elenco: Robin Wright, Harvey Keitel, Jon Hamm

Sinopse: Uma atriz em fim de carreira decide aceitar uma proposta ousada, mas muito bem paga, para ter melhores condições de cuidar de seu filho, portador de deficiência física. Segundo o acordo, ela deve colaborar com uma empresa que vai fazer uma versão digital de sua imagem, criando assim uma atriz virtual idêntica à ela mesma. Enquanto a empresa pode utilizar essa imagem virtual para os fins que desejar, a atriz real será proibida de atuar até o resto de sua vida. Aos poucos, ela começa a perceber as consequências catastróficas da atitude que tomou.

Curiosidades: O interior da enorme cúpula durante a sequência em animação, foi baseado no Grande Salão do Reich, um projeto de Adolf Hitler e seu ministro da Defesa, Albert Speer, um prédio que, se tivesse sido construído, teria mil pés de altura, com capacidade para abrigar 15 mil espectadores, e seria a maior plateia coberta do mundo, até hoje. A fotografia das cenas de ação em live-action foi feita por Michal Englert, fotógrafo polonês premiado no Festival de Sundance por seu trabalho em “Lasting” (2013), filme de Jacek Borcuch.

Serviço:

Planos de assinatura com acesso a todos os filmes do catálogo em 2 dispositivos simultaneamente.

Valor assinatura mensal: R$ 9,90 | Valor assinatura anual: R$ 108,90

Super Lançamentos: Com valores variados, a sessão ‘super lançamentos’ traz os filmes disponíveis no cardápio para aluguel por 72hs.

Para se cadastrar acesse: www.belasartesalacarte.com.br e clique em ASSINE.

Ou vá direto para a página de cadastro:

https://www.belasartesalacarte.com.br/checkout/subscribe/signup

Aplicativos disponíveis para Android, Android TV, IPhone, Apple TV e Roku. Baixe Belas Artes À LA CARTE na Google Play ou App Store.

Sobre o À LA CARTE 

À LA CARTE é um streaming de filmes pensado para quem ama cinema de verdade. Seu catálogo, que já conta com cerca de 400 títulos,e inclui filmes de todos os cantos do mundo e de todas as épocas: contemporâneos, clássicos, cults, obras de grandes diretores, super premiados e principalmente aqueles que merecem ser revistos e que tocam o coração dos cinéfilos. Além de pelo menos quatro novos filmes que entram semanalmente no catálogo, há também a possibilidade do aluguel unitário, que são os Super Lançamentos: um espaço para filmes que estreiam antes dos cinemas; simultâneos ao cinema; filmes inéditos no Brasil, entre outras modalidades. Outro diferencial são as mostras de cinema, recentemente o À LA CARTE trouxe especiais dedicados à cinematografia francesa, italiana, coreana e espanhola. O À LA CARTE foi criado no final de 2019 e integra o Belas Artes Grupo, que inclui também a Pandora Filmes e o Cine Petra Belas Artes, um dos mais tradicionais e queridos cinemas de rua de São Paulo.