Animais de estimação costumam seguir os tutores até o banheiro

Reprodução/Pinterest – Animais de estimação costumam seguir os tutores até o banheiro

Quem tem um animal de estimação que é criado dentro de casa sabe que privacidade é algo quase inexistente, já que os pets, quando não estão distraídos com algum brinquedo, dormindo ou cuidando das próprias necessidades, estão ao lado do tutor pelo maior tempo possível, principalmente quando este passa boa parte do dia fora de casa.

Os banheiros são cômodos bem particulares da casa, com um misto de odores que despertam a curiosidade dos pets e, como a maioria dos “pais de pet” sabe,  cães podem ter um interesse bem particular por papel higiênico,  e os gatos podem ver brinquedos muito divertidos naquele rolo de papel macio pendurado.

Continua após a publicidade

Em dias mais quentes os pets também podem buscar refúgio do calor nessa parte da casa, já que os banheiros tendem a ser o ambiente mais fresco, por receberem menos raios de sol, ou mesmo os tapetes serem vistos como um bom lugar para se deitar – ou mesmo aquela toalha pendurada no box.

Algumas pessoas podem se incomodar com o comportamento dos pets, devido à “invasão de privacidade”, mas esse é um hábito natural dos animais e retirar ou diminuir esse costume pode levar algum tempo.

Quando o cachorro segue o dono, o que pode ser

Cães gostam de estar perto dos humanos que amam

Reprodução/Pinterest- Cães gostam de estar perto dos humanos que amam

Existe uma variedade de razões pelas quais cães e gatos seguem os tutores pelas casas. Para os cães há um forte instinto de proteção, como animais que viviam em matilhas eles são habituados a estar sempre em companhia e se sentem mal ao ficarem muito tempo sozinhos, além disso, o momento de fazer as necessidades é um dos que os cães estão mais vulneráveis e, dessa forma, podem entender que o humano – visto como um líder pelo pet – possa estar precisando também de proteção naquele momento tão especifico.

Neste momento os pets também podem aproveitar para receber o carinho que eles tanto apreciam daqueles que eles mais amam. Também pode ser que o pet tenha pegado esse costume de seguir o tutor quando ainda era um filhote e o levou para a vida adulta, enquanto outros cães jamais tenham pegado esse costume e é perfeitamente normal que o cão também não siga o tutor até o banheiro – e ele não precisa se sentir menos amado por isso.

Ao se deparar com uma porta fechada e notar que o humano está lá dentro, o pet ficará curioso e pode querer entrar no cômodo, ou mesmo ficar sentado à porta esperando, mas caso o animal apresente o comportamento de querer a todo custo entrar ali e fique arranhando a porta, pode ser que o pet tenha o que é chamado de dependência emocional, ou sofra de ansiedade por separação, nesses casos é necessário procurar ajuda de um profissional, como um adestrador comportamental ou mesmo um etólogo.

O gato está sempre por perto

Os gatos se sentem mais confortáveis ao lado dos tutores

Reprodução/Reddit -Os gatos se sentem mais confortáveis ao lado dos tutores

Gatos serem criados dentro de casa é ainda mais comum do que para um cão que, geralmente, fica no quintal ou passa boa parte do tempo do lado de fora. Sendo assim, esse hábito de seguir o tutor por toda a casa é ainda mais comum entre os bichanos.

Os felinos amam ficar no mesmo ambiente em que o humano que lhes dá carinho e os alimenta está, algo que faz com que se sintam mais seguros no ambiente. Por isso, não seria diferente quando o tutor estivesse em um momento no qual ele pode ter toda a atenção só para ele, já que o humano estará sentado naquela “cadeira estranha” sem nenhuma TV ou computador por perto.

O tutor de gato que tenta deixar a porta do banheiro fechada provavelmente verá a patinha do pet passando pelo vão ou mesmo ouvirá o som de suas garras felinas arranhando a porta – os gatos, inclusive, não são muito fãs de portas fechadas. É neste cômodo também onde há uma fonte inesgotável de água corrente para o pet se refrescar, mesmo que tenham vários potinhos de água pela casa, é comprovado que os gatos preferem água corrente e, uma vez que descobrem a torneira, eles vão ficar bem interessados. Uma dica é ter um bebedouro do tipo fonte, que pode ser facilmente encontrado em petshops.

Não é difícil também que os gatos se interessem em entrar no banheiro mesmo que o tutor não esteja por lá. Este lugar também é uma fonte rica de entretenimento para os felinos, além do papel higiênico ser um excelente brinquedo, há uma diversidade de objetos que podem atrair a atenção e podem acabar virando brinquedos aos olhos dos pets (por isso é preciso ter cuidado com objetos cortantes, como lâminas de barbear, tesouras e cortadores de unha). Os gatos também adoram lugares altos e a pia, o vaso sanitário e o box do chuveiro também são obstáculos tentadores para o animal praticar os pulos e as acrobacias.

Tome cuidado com os perigos do banheiro 

A torneira do banheiro é muito atrativa para os gatos
pklaschka/Pixabay- A torneira do banheiro é muito atrativa para os gatos

Apesar de toda a diversão que o banheiro possa trazer ao pet, seja ele cão ou gato, este é também uma fonte de perigos. É comum que produtos de limpeza sejam guardados neste cômodo, além dos produtos de higiene pessoal, e esses podem ser tóxicos para os animais de estimação.

Os pets podem também querer lamber a água que fica no box após o banho com resíduos de shampoo e sabonete que podem ser o suficiente para causar uma intoxicação no pet. Para tentar retirar ao máximo a atenção dos bichinhos dos itens que estão dentro do banheiro, o ideal é enriquecer o ambiente com brinquedos e acessórios que permitam que os animais se exercitem e se sintam estimulados, especialmente enquanto o tutor não está em casa.

Brinquedos para cães e gatos podem ser facilmente encontrados em lojas especializadas ou mesmo serem feitos artesanalmente, com itens reciclados e não é preciso mais do que algumas  caixas de papelão e garrafas de plástico – além do mais, produzir os próprios brinquedos pode ser também uma boa diversão para os tutores.